O choro e a adaptação escolar

 

Programa Mamãe Girafa - Educação Digital_Prancheta 1

O choro é  uma resposta de ansiedade, ou seja de luta, fuga ou congelamento. É um comportamento de homeostase fisiológico, e não se deve achar que  é um mau comportamento.

Cuidado com as boas intenções! Não aconselhamos elogiar a criança por não chorar. 

A pior ação que podemos ter com uma criança é constrangê-la por se emocionar, isso leva ao stress e intensifica o quadro de ansiedade.

Mesmo que a criança esteja fisicamente segura, sua amígdala cerebral não se sente assim e dispara o "botão"do pânico, inundando o cérebro de hormônio de stress, fazendo com que todo o corpo sinta reações desconfortáveis (incômodo abdominal, frio, dilatação da pupila, etc…).

Ao elogiar a ausência do choro, estamos contribuindo para a criança entender que expressar suas emoções não é algo que valorizamos. E assim a mensagem que fica para a criança, na verdade é: "Não chore, o choro não é bom!  Se você chorar, nós não vamos te aceitar socialmente". Quando na verdade, o choro nada mais é do que a expressão de que algo não vai bem, expressão de suas ansiedades e necessidades não atendidas, além de manter a atenção do adulto.

Mas então, o que fazer? 

1-Aceitar as emoções e acolher a criança:  Tudo bem filho(a) eu sei como você está se sentindo, eu também me sinto assim quando algo acontece comigo e me incomoda!

2- Pedir a ajuda e aceitar o acolhimento e instruções dos profissionais da escola.

3- Intensificar a aproximação afetiva entre os educadores e alunos. Pais precisam sinalizar  a aceitação, tranquilidade e contentamento pela escolha da escola. Mostrar insegurança vai aumentar o stress nas crianças. Não tenha medo de ir embora, a escola vai te procurar se for necessário que você volte! 

 4- As professoras estão preparadas para realizar atividades diferentes e propositais para este tempo de acomodação emocional das crianças. A afetividade é o berço da aprendizagem, e começa então um mundo novo e mágico para nossos pequenos, esse mundo tem que ter muita afetividade envolvida! E o acolhimento dos educadores nesse momento de afastamento da família é que vai determinar o futuro tranquilo do seu filho na escola.

5- Deixar a criança a vontade para construir vínculos com os educadores é importante e vital para essa adaptação ter sucesso, assim é necessário que os pais percebam a hora de se afastar e deixar a criança caminhar. Com os pais ansiosos,  as crianças responderão emocionalmente de maneira preocupante e assim, a sua relação com a escola será sempre fragilizada. 

Deixe seu filho(a) sentir que você está seguro(a) da sua escolha e que tem certeza de que ele é capaz de criar vínculos além da sua família.

O restante será consequência de um relacionamento de confiança entre pais, filhos e escola.

E o choro, sempre vai acontecer, e quando vier, estaremos juntos para identificar a necessidade não satisfeita que está por trás dele! 

Voltamos na próxima semana!

 

Abraços de Girafa!

Ana Cláudia Favano

Psicóloga, Pedagoga e Educadora Parental

Gestora da Escola internacional de Alphaville

 

Tópicos ESCOLA BILÍNGUE, ALPHAVILLE, EDUCAÇÃO INFANTIL

Picture of Ana Cláudia Favano
Ana Cláudia Favano
Gestora da Escola Internacional de Alphaville. Psicóloga, Pedagoga, Educadora Parental pela PDA/USA. Atuação em Psicologia da Moralidade, Psicologia Positiva, Formação Ética. Dedicada à leitura, interessada por questões políticas, mobilizada grande parte de sua energia para contribuir com a formação de gerações comprometidas e responsáveis.